Instrumentos Musicais da Tocata

Nas imagens fotográficas associadas a esta página apresentamos alguns dos instrumentos tradicionais que são utilizados actualmente pelo RFEM. Como exemplo dos instrumentos mais genuínos apresentamos o Reco-Reco. Instrumento de percussão feito em madeira com pequenos recostes para lhe dar sonoridade quando tocado. Outros instrumentos como a Gaita de Foles, Caixa e Bombo, merecem referência e destaque pela sua importância no Planalto Mirandês ao qual pertencemos.

Muitos destes instrumentos de percussão são ainda hoje muito utilizados graças aos Ranchos Folclóricos e Grupos de Música Popular.

A nossa tocata é composta, predominantemente, por instrumentos de corda (bandolim(s), cavaquinho(s),  e viola(s)); por instrumentos de sopro como é o caso da gaita de foles, realejo e flauta pastoril e, por fim, pelos de percussão ( pandeireta, pandeiro, ferrinhos, bombo, caixa e reco-reco).

Bandolim

bandolim1bandolim é um cordofone que terá sido introduzido em Portugal durante …. O nome de bandolim …

Viola

violaO violão é um cordofone que terá sido introduzido em Portugal durante os primeiros decénios do séc. XIX. O nome de violão continua a ser usado em algumas zonas do país, o mesmo não acontece na nossa e noutras onde terá sido esquecido para dar lugar apenas à designação de viola.

Cavaquinho

cavaquinho1O cavaquinho, do grupo dos cordofones, de timbre e ritmo harmonioso que realça todas as suas potencialidades quando tocado de forma rasgado.

Ao que tudo indica trata-se de um instrumento introduzido em Portugal por povos oriundos do Norte de Espanha.

Gaita de Fole

gaita_mirandesa_1A gaita de fole de Trás-os-Montes (também chamada gaita de foles “transmontana” ou “mirandesa”, ou simplesmente gaita) é tradicionalmente de construção artesanal e partilha semelhanças morfológicas com as gaitas-de-fole de Sanabria, Aliste ou Zamora, comarcas espanholas fronteiriças, mas possui características muito próprias: possui um ponteiro de furação larga, com digitação aberta, preso no pescoço de um fole de cabrito, assim como um ronco de grandes dimensões, preso na pata direita, e um assoprete, preso na pata esquerda. A sua tonalidade pode oscilar entre Si, Si bemol e Lá, dependendo dos artesãos, e exibe uma escala próxima das usadas na música da região, sobretudo na música de flauta pastoril (“Fraita”, em Mirandês) e vocal. A sua escala pode estar afinada no modo Eólio (escala diatónica menor natural) e é possível encontrar exemplares afinados com uma 3ª neutra e em várias ocasiões, com o 6º e 7º graus neutros, com quase 1/4 de tom abaixo – o que ao ouvido humano dá a sensação de escala menor, com uma subtónica em vez de sensível e de 3º e 6º graus baixos. As práticas musicais e os próprios materiais de construção dos instrumentos estão profundamente envolvidos no contexto agro-pastoril desta região. É um instrumento da família dos aerofones, composto de pelo menos um tubo melódico (chamado ponteiro ou cantadeira, pelo qual se digita a música) e dum insuflador mediado por uma válvula (chamado soprete ou assoprador), ambos ligados a um reservatório de ar (chamado fole ou bolsa); na maioria dos casos, há pelo menos mais um tubo melódico, pelo qual se emite uma nota pedal constante em harmonia com o tubo melódico (chamado bordão ou ronco).

Flauta Pastoril

flauta_pastorilA flauta pastoril, do grupo dos aerofones, começou por ser um instrumento individual, rural campesino, companheiro dos pastores, foi-se introduzindo, aos poucos na Tocata como instrumento de acompanhamento e por vezes também de solo.

Caixa

caixa1Caixa, tarola, tarol, caixa clara ou, na designação original em inglês, snare drum é um tipo de tambor bimembranofone composto por um corpo cilíndrico de pequena seção, com duas peles fixadas e tensionadas através de aros metálicos, uma esteira de metal, constituída por pequenas molas de arame colocada em contato com a pele inferior, que vibrar através da ressonância produzida sempre que a pele superior é percutida, produzindo um som repicado. Excelente para acompanhamento da gaita de foles.

Bombo

bombo1O bombo, do grupo dos membrafones, tem a função de marcar o ritmo e também o compasso. A sua execução é fundamental para a coesão da tocata e da dança.

 

 

Pandeiro

pandeiro1O Pandeiro mirandês, do grupo dos membrafones, tem, tal como o bombo, a função de marcar o ritmo e o compasso …..

 

 

 

Pandeireta

pandeireta1Pandeireta, do grupo dos membrafones, tem, tal como o bombo, a função de marcar o ritmo e o compasso …..

 

 

 

Chocalhos

cestaChocalhos, a sua função na tocata, tal como o bombo e outros ´marcar o ritmo…..

 

 

 

Reco-Reco

reco_recoO reco-reco, do grupo dos idiofones fricativos, talvez de origem Africana é recortado em tábua. A sua função na Tocata, tal como o bombo, é marcar o ritmo.

 

 

 

Ferrinhos

ferrinhosOs ferrinhos que, segundo alguns entendidos em matéria de folclore, teriam surgido em Portugal no século xv, é outro dos instrumentos que marcam o ritmo da nossa tocata.

 

 

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

2 × three =